Aleteia
Quarta-feira 21 Outubro |
São Bertoldo de Parma
Religião

A terceira via do papa Francisco

AFP PHOTO/ JACK GUEZ

JERUSALEM : Pope Francis (C) looks on at the Heichal Shlomo Center as he sits between Israeli Sephardi Chief Rabbi, Shlomo Amar (L), and Ashkenazi Chief Rabbi, David Lau (R), in Jerusalem on May 26, 2014. Pope Francis faces a diplomatic high-wire act as he visits sacred Muslim and Jewish sites in Jerusalem on the final day of his Middle East tour. AFP PHOTO/ JACK GUEZ

Pe. Dwight Longenecker - publicado em 01/06/14

O papa que ficou em pé na frente de dois muros

No último domingo, durante a sua visita à Terra Santa, o papa Francisco mandou parar o papamóvel para fazer um momento não previsto de oração silenciosa aos pés do muro de concreto construído pelos israelenses na fronteira com o território palestino. Levantado para impedir os terroristas palestinos de entrar em Israel, o muro se tornou um símbolo da opressão que os palestinos sentem: denunciando-o como símbolo de apartheid, eles afirmam que o muro os torna prisioneiros na sua própria terra.

Uma semana depois que as negociações entre palestinos e israelenses fracassaram mais uma vez, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, criticou a atenção do papa ao muro e culpou os palestinos de politizar a visita de Francisco. Netanyahu explicou que o muro é uma medida de segurança e convidou o papa a fazer uma visita semelhante a outro muro: um memorial às vítimas judaicas do terrorismo palestino. O papa aceitou e permaneceu em silêncio diante de mais uma parede, antes de visitar um segundo memorial às vítimas judaicas da opressão: o famoso Memorial do Holocausto Yad Vashem.

Dois muros. Dois povos divididos por uma animosidade que não se estende apenas pelos últimos cinquenta anos, desde que os judeus voltaram para Israel, mas por milênios. Quando lemos o Antigo Testamento, vemos que os inimigos históricos do povo judeu eram os filisteus, palavra que é simplesmente a versão mais antiga de “palestinos”. Os palestinos modernos são descendentes de uma grande variedade de povos antigos, e os filisteus, tais como os palestinos de hoje, eram o povo que habitava as terras da Palestina.

As batalhas entre palestinos e hebreus continuaram ao longo de milhares de anos. Será que existe maneira de quebrar este ciclo de recriminação, vingança e ódio? Existe maneira de resolver de forma pacífica a disputa no Oriente Médio?

Do ponto de vista humano, parece impossível. Mas a influência dos papas na política mundial é muitas vezes subestimada. O poder pacífico de João Paulo II ajudou a derrubar outro muro, em Berlim, e a descerrar a Cortina de Ferro. Será que o papa Francisco pode ser um dos protagonistas de um eventual processo de paz no Oriente Médio? Será que Francisco, com o nome do padroeiro dos promotores da paz, pode vislumbrar um novo caminho a ser seguido? O papa exortou os líderes da região a buscarem a paz: "Eu imploro àqueles que exercem cargos de responsabilidade a não deixarem pedra sobre pedra na busca de soluções justas para problemas complexos", disse ele. "O caminho do diálogo, da reconciliação e da paz deve ser constantemente retomado, com coragem e sem descanso".

Francisco convidou o líder palestino Mahmoud Abbas e o presidente de Israel, Shimon Peres, para um encontro de oração no Vaticano. Comentando sobre a situação na Terra Santa, o papa declarou: "Há necessidade de intensificar os esforços e as iniciativas para criar as condições de uma paz estável, baseada na justiça, no reconhecimento dos direitos de cada indivíduo e na segurança mútua". A paz "deve ser resolutamente buscada, mesmo que cada lado tenha de fazer certos sacrifícios".

Será que o papa pode fazer a diferença? No cenário mundial, há muito poucas figuras internacionais que mantêm credibilidade, que representam valores humanos e que evocam um chamamento superior. O papa parece ser respeitado por todos e pode usar a sua influência para levar as partes em conflito a discutir a paz. Boa vontade e esforço humano oferecem dois caminhos para se avançar rumo à paz, mas há um terceiro fator dominante, que os repórteres negligenciam. Esse fator é simbolizado pela visita de Francisco a um terceiro muro: o histórico Muro das Lamentações, em Jerusalém.

Levantado na base do Monte do Templo, ele é tudo o que resta do grande templo construído pela primeira vez pelo rei Salomão e reconstruído por Herodes, o Grande. As suas pedras hoje milenares já estavam de pé quando Jesus Cristo purificou o templo e foi julgado perante Pilatos naquele mesmo local. De uma perspectiva católica, é o lugar onde Cristo, o Príncipe da Paz, pagou o preço da paz.

O papa Francisco se alçou diante desse terceiro muro com seus dois amigos: um líder judeu e um líder muçulmano. Conforme o costume, ele inseriu no muro um pedaço de papel com uma oração: era a Oração do Senhor, em espanhol. Os três amigos mostraram juntos uma terceira via: diante do terceiro muro, eles mostraram o terceiro poder que pode superar as divisões e os conflitos e encaminhar, finalmente, a paz.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
DiálogoPapa FranciscoTerra Santa
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
CARLO ACUTIS
John Burger
Como foram os últimos dias de vida de Carlo A...
violência contra padres no Brasil
Francisco Vêneto
Outubro de cruz para padres no Brasil: um per...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
SAINT JOSEPH SLEEPS
Philip Kosloski
Durma em paz com esta breve oração a São José
Pe. Gilmar
Reportagem local
Padre é encontrado após três dias desaparecid...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia