Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

4 dicas para enfrentar a tristeza e o vazio emocional

COUPLE
CREATISTA - Shutterstock
Compartilhar

Nem sempre podemos evitar esses sentimentos, mas podemos administrá-los melhor

O vazio emocional é uma sensação que não podemos superar comprando coisas ou fazendo viagens; só pode ser abordado voltando-se para dentro e lidando com o estado de nossas mentes e corações. Aqui estão algumas dicas que podem ajudar nesses momentos difíceis.

Identifique pensamentos negativos

Assim como checamos nossos e-mails todos os dias e excluímos as mensagens que não nos interessam, pode ser uma boa ideia criar um hábito similar com nossos pensamentos. Examiná-los nos permitirá ver se os pensamentos em nossa mente – e os sentimentos que eles evocam – são bons para nós, ou contraproducentes.

Não só é importante identificar e rejeitar nossos pensamentos negativos; também precisamos aprender algumas estratégias para evitar que eles ocorram em primeiro lugar. Por exemplo, devemos evitar tirar conclusões precipitadas sobre as ações e intenções das pessoas até que tenhamos informações suficientes; de outra forma, corremos o risco de julgá-las negativamente sem motivo e de nos sentirmos magoados ou insultados. Mesmo quando determinamos que alguém realmente nos ofendeu, precisamos manter uma perspectiva equilibrada, não reagir desproporcionalmente à situação.

Outra armadilha que nossa mente pode cair é generalizar demais as coisas – por exemplo, tomar uma experiência ruim para uma pessoa ou uma situação ruim e assumir que esse é o único lado das coisas, e que estamos destinados a sempre ter uma experiência igualmente ruim.

Se conseguirmos evitar algumas dessas armadilhas mentais, isso nos ajudará a ter pensamentos mais razoáveis ​​e úteis que nos manterão na base da realidade, e isso facilitará a busca de soluções práticas.

Aprenda a se fazer perguntas

Talvez a coisa mais importante não seja a sensação estranha e desconfortável do vazio emocional como tal, mas sim o que isso significa; é geralmente um “alarme”. Em vez de nos afundarmos no vazio, precisamos aprender a nos perguntar quais são as causas desse vazio e como podemos remediar a situação.

No mundo de hoje, tendemos a fugir do silêncio; não é difícil fazer isso, já que estamos cercados por barulho, música, imagens etc., independente de onde estivermos. Como consequência, muitas vezes não refletimos o suficiente nem questionamos o que estamos fazendo ou como estamos nos sentindo. Entramos no piloto automático, esquecendo de nos perguntar como nós – ou as pessoas ao nosso redor – podemos ser mais felizes. Ser feliz requer focar nas prioridades todos os dias, e isso, por sua vez, significa que precisamos de tempo para refletir, para nos perguntarmos se estamos fazendo o que é mais importante para nós.

Deixe-se aproveitar a vida

É importante que tenhamos tempo para aproveitar as coisas cotidianas: nossos amigos e familiares, a beleza do mundo ao nosso redor, as coisas que gostamos de fazer. Isso nos fará sorrir e melhorará nossa saúde emocional e bem-estar geral.

Fazer uma lista de todas as coisas que precisamos fazer, identificando o que é urgente e importante, pode ser uma grande ajuda. Isso nos permitirá ver o que é desnecessário e o que está atrapalhando o que realmente importa; isso também nos ajudará a ver quais coisas importantes podemos estar negligenciando.

Fortaleça sua autoestima

A autoestima é como o sistema imunológico da nossa vida emocional. A falta de autoestima nos torna mais vulneráveis ​​à tristeza e desânimo e a pensar que não merecemos realmente ser felizes. A autoestima saudável nos ajudará a enfrentar os desafios de cada dia.

Para aumentar nossa autoestima, precisamos nos conhecer melhor. Nós não podemos amar o que não conhecemos. Conhecer-nos melhor nos permitirá reconhecer nossos pontos fortes e fracos e nos aceitar como somos. Ser honesto, objetivo e aceitar a nós mesmos nos possibilitará ver como podemos usar nossas virtudes e forças para crescer, tornando-nos mais fortes e melhores.

Não há como evitar completamente a infelicidade e sentimentos negativos na vida, mas se estamos bem fundamentados na realidade, refletindo honestamente sobre quem somos, sobre as coisas boas que nos rodeiam e sobre o que realmente importa, isso nos ajudará a não ficarmos sobrecarregados em momentos de dificuldade e sentimentos de vazio emocional.

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.