Aleteia

Regime comunista chinês substitui 10 Mandamentos por citações do presidente

Compartilhar

Segundo denúncias, líderes cristãos que desobedecem à ordem do governo estão sendo perseguidos e presos

Veículos internacionais de comunicação, como a rede norte-americana Fox News e o tradicional site católico britânico de notícias Catholic Herald, repercutiram nos últimos dias uma reportagem da revista Bitter Winter, que monitora a liberdade religiosa e os direitos humanos na China, a respeito da obrigação imposta pelo regime comunista chinês ao grupo cristão protestante Three-Self Patriotic Movement de substituir quadros do decálogo por frases do presidente Xi Jinping.

A matéria denuncia que os responsáveis pelos locais de culto desse movimento que não obedeceram à ordem de remover os quadros com os Dez Mandamentos têm sofrido represálias que incluem desde perseguições até a prisão. Funcionários do governo teriam afirmado ao movimento, segundo seus líderes, que “o Partido deve ser obedecido em todos os aspectos. Vocês devem fazer tudo o que o partido lhes ordenar. Se desobedecerem, sua igreja será fechada imediatamente“.

Uma das frases do presidente Xi Jinping que teria substituído um dos Dez Mandamentos vem de um discurso dele em maio de 2015 ao Departamento de Trabalho da Frente Unida:

“Os valores socialistas e a cultura chinesa ajudarão a submergir várias religiões da China. Apoiem a comunidade religiosa interpretando o pensamento religioso, as doutrinas e os ensinamentos de uma forma que se ajuste às necessidades do progresso dos tempos. Protejam-na resolutamente contra a infiltração da ideologia ocidental e resistam conscientemente à influência do pensamento extremista”.

Boletim
Receba Aleteia todo dia