Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Papa sobre países com poucas crianças e com idosos mal cuidados: “É trágico!”

Compartilhar

“Quando os idosos são negligenciados, perdemos a tradição”

Na Missa que celebrou nesta segunda-feira na Casa Santa Marta, o Papa Francisco falou em sua homilia sobre a queda dos nascimentos em vários países, nos quais, como se não bastasse a redução do número de crianças, ainda cresce a negligência para com os idosos. Ele assim resumiu esta situação:

“É trágico!”

Francisco afirmou:

“Quando um país envelhece e não há filhos, você não vê carrinhos de bebê pelas ruas, não vê mulheres grávidas: “Um filho? Melhor não…’. Quando você lê que naquele país há mais aposentados do que trabalhadores… É trágico! E quantos países hoje começam a viver esse inverno demográfico!”

Sobre os idosos mal cuidados, o Papa acrescentou:

“Quando os idosos são negligenciados, perdemos a tradição; a tradição que não é um museu de coisas velhas, mas a garantia do futuro; as raízes que fazem a árvore crescer e dar flores e frutos. É uma sociedade estéril para as duas partes”.

Descrevendo idosos e jovens como a certeza de sobrevivência de uma pátria e da Igreja, o Papa incentivou o intercâmbio entre as gerações para combaterem juntas a expansão da cultura do descarte. E relembrou um caso ocorrido numa viagem apostólica:

“Nunca me esqueço daquela velhinha na praça central de Iași, na Romênia, quando ela olhou para mim… Ela era como as avós romenas, com um véu… Ela me olhou, tinha o neto nos braços e o mostrou para mim, como se estivesse dizendo: ‘Esta é a minha vitória! Este é o meu triunfo!’. Aquela imagem, que depois deu a volta ao mundo, nos diz mais do que esta pregação”.

Boletim
Receba Aleteia todo dia