Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 01 Agosto |
home iconEstilo de vida
line break icon

Como ensinar a criança a lidar com as frustrações da vida?

WRITING LETTER

muroPhotographer | Shutterstock

Reportagem local - publicado em 11/07/21

É preciso ensinar as crianças a enfrentarem o mundo real, aceitando as circunstâncias e lidando com elas de forma positiva

Há muitas realidades que os pais gostariam de evitar, para facilitar a vida dos filhos, mas algumas delas são inevitáveis; cedo ou tarde, a vida se imporá. Por isso, é importante ensiná-los a lidar com a frustração.

A frustração é uma resposta emocional que surge quando não vemos nossas expectativas realizadas. No contexto familiar, ela se manifesta de maneira especial quando os pais dizem “não” diante de determinada solicitação dos filhos. A tolerância à frustração é a capacidade de aceitar as circunstâncias e enfrentá-las com uma atitude positiva, dando um passo à frente.

A tolerância à frustração é uma lição que se aprende dentro da família, quando os pais formam a vontade dos filhos. O ser humano, no início da vida, tende a querer dominar o mundo segundo seus caprichos, pois ainda não conhece as normas nem o domínio das suas emoções. Porém, a educação permite que a criança vá adquirindo a maturidade necessária para reconhecer os próprios limites e os dos outros.

Uma educação permissiva e superprotetora leva os filhos a não aceitarem um “não”. Uma criança tem de aprender a frustrar-se, e ver que nem tudo o que ela deseja pode ser realizado. Muitas vezes, nós, como pais, tendemos a dar-lhes tudo. Se a criança cresce assim, quando for adolescente, como lhe diremos ‘não’ quando for necessário?

É preciso aprender a aguentar as frustrações, porque a vida está cheia de alegrias, mas também de frustrações e sacrifícios.

Como ensinar os filhos a tolerar as frustrações?

Esta é uma tarefa que deve começar desde que o bebê nasce, no que diz respeito à satisfação imediata dos desejos, também chamados de “caprichos”. Atos simples, como deixá-los no berço até dormirem, alimentá-los em horários estabelecidos, negar-lhes às vezes os brinquedos que pedem são maneiras de educar no autocontrole e formar sua vontade.

Nesta etapa, é importante postergar a satisfação dos seus desejos, ou seja, que aprendam a esperar ou aceitar quando alguma coisa não acontece exatamente como eles querem, sem reagir impulsivamente.

Na medida em que os filhos crescem, surgirão outras formas de tolerar suas frustrações. O âmbito escolar, por exemplo, é um espaço no qual surgem diversas situações, de maneira gradual: desenhos e letras defeituosos, tarefas mal elaboradas, notas baixas, reprovações etc. São as primeiras lições de frustração da vida e, se não forem bem conduzidas, os resultados podem ser nefastos.

Em meio a estas circunstâncias, os adultos podem ensinar seus filhos a lidar com o fracasso, ao invés de justificar seus atos ou negar suas limitações. É preciso destacar o valor do esforço, da perseverança, da paciência, para superar os impedimentos e alcançar os objetivos.

Porém, é necessário levar em consideração que tolerar a frustração é uma capacidade que se desenvolve com o tempo, graças a um treinamento constante.

Por outro lado, a adolescência é uma etapa crítica em termos de tolerância à frustração, dadas as características e o vai e vem emocional. Daí a necessidade de adubar o terreno nos anos anteriores, para que esta fase seja vivida dentro dos limites normais.

Esta educação deve acontecer no âmbito de uma relação amorosa e próxima; ainda que não se possa deixar a autoridade de lado, nem o dever de todo pai de formar seus filhos no caminho do bem, da retidão e da integridade, é preciso evitar todo ato agressivo ou repressivo.

Portanto, é imprescindível que os pais compreendam seus filhos e cultivem a paciência, entre outras virtudes, para dar conta destes desafios educativos.

Tags:
EducaçãoFilhos
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
SIMONE BILES
Cerith Gardiner
Simone Biles deixa as Olimpíadas com uma lição importante para to...
2
Batizado de Davi Henrique, 6 anos
Reportagem local
Davi, de 6 anos, reclama do padre no batizado: “Tá sabendo ...
3
Ítalo Ferreira
Reportagem local
Ouro no surfe em Tóquio, Ítalo Ferreira rezou todos os dias às 3h...
4
HIDILYN DIAZ
Cerith Gardiner
Olimpíadas: depois de ganhar o ouro, atleta exibe outra medalha e...
5
David Arias
Reportagem local
Ex-satanista mexicano retorna à Igreja e testemunha: “O ter...
6
Claudio de Castro
Como salvar nossas almas nos últimos minutos antes da morte
7
Pessoa idosa rezando o terço
Reportagem local
Brasil: carta de despedida de bisavó de 96 anos comove as redes s...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia