Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sábado 13 Abril |
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Queda de WhatsApp, Facebook e Instagram expôs vício em smartphone

shutterstock_1586442502.jpg

Daisy Daisy | Shutterstock

Octavio Messias - publicado em 06/10/21

Dependência patológica do aparelho é chamada nomofobia

Na virada de 1999 para o ano 2000, houve muita expectativa com relação ao chamado Bug do Milênio, quando temia-se que a internet cairia no mundo todo, o que não aconteceu.

Nesta segunda (4), a esfera virtual viveu fenômeno semelhante, quando as redes sociais e aplicativos do grupo Facebook – o que inclui WhatsApp, Instagram e Messenger – ficaram fora do ar ao longo de sete horas, vindo a ser regularizados apenas no período da noite.

O assunto rapidamente tornou-se trending topic no Twitter, uma das poucas redes sociais que permaneceu em atividade durante o apagão que continua sem explicação. Palavras como “ansiedade” e “surtando” estiveram entre as mais buscadas no Twitter e no Tik&Tok.  

Quando os serviços voltaram ao normal, foram comuns relatos de pessoas que se sentiram mais livres e produtivas sem acesso a esses dispositivos, e de outras que ficaram aflitas com medo de perder oportunidades de trabalho ou interações interpessoais.

Tamanho alarde em torno de algumas horas sem acesso a redes sociais em plena segunda-feira demonstra o quão dependente o mundo contemporâneo é desses serviços. Mais do que isso, expõe um dos grande problemas do nosso tempo: a nomofobia, palavra dada ao pavor de ficar sem acesso ao celular (“no mobile phobia”, em inglês).   

DESATENÇÃO E ANSIEDADE

O excesso de tempo online fragmenta nossa atenção e altera nossa percepção de tempo. São comuns relatos de pessoas que nem sentem as horas passarem quando demasiadamente expostas às redes sociais.

E se, mesmo sem estar aguardando notícias ou contatos importantes por meio dessas plataformas, você sente ansiedade quando cai a internet, quando fica sem sinal ou quando acaba a bateria do aparelho, talvez você esteja sofrendo de nomofobia.

Esses são alguns dos critérios para identificar o transtorno, de acordo com o livro “Nomofobia – Dependência do Computador, Internet, Redes Sociais? Dependência do Telefone Celular?”, organizado pela psiquiatra Anna Lucia Spear King, da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

A obra revela dados surpreendentes, como que de cada 100 pessoas, 15 têm relação compulsiva com o smartphone. A nomofobia tende a estar associada a outros quadros como fobia social, ansiedade e depressão. 

Confira, abaixo, os principais sintomas da nomofobia. E, caso se identifique com a maioria deles, considere procurar ajuda psicológica e/ou psiquiátrica.

– Prejuízo de desempenho no trabalho;

– Repreensão constante por parte dos superiores;

– Dificuldade de concentração em leituras ou no trabalho; 

– Dificuldade em dormir ou em ter um sono restaurador;

– Irritação durante encontros familiares; 

– Dificuldade em se desconectar completamente. 

Tags:
InternetRedes sociaisVícios
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia