Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 04 Julho |
São Raimundo Gayrard
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

O veterinário disse que devíamos abater o nosso velho cão, mas meu filho pequeno tinha outro plano

shutterstock_1310695283.jpg

Larina Marina | Shutterstock

Orfa Astorga - publicado em 15/06/22

O meu filho estava a aprender a amar incondicionalmente: "É bom que você exista, mesmo quando já não brinca comigo"

Há alguns dias, quando levamos o nosso cachorro ao veterinário, este nos disse que era hora de “colocá-lo para dormir”, já que ele estava muito velho, e que seria apenas um problema a tratar.

“Eu nunca farei, vou cuidar dele para sempre!” – exclamou o meu filho de 8 anos, com grande determinação para salvar o nosso animal de estimação.

A verdade era que todos nós adorávamos nosso animal de estimação, que desde cachorrinho e durante o seu auge nos deu companhia agradável, sempre sendo engraçado e brincalhão. Para além disso, prestou-nos um valioso serviço como zeloso guardião do nosso lar.

Agora, ele estava quase cego, com vários dentes faltando e muito pouca energia. Passava muito tempo deitado, o que levou a lesões dolorosas, para além de outras doenças variadas devido à velhice.

“Mas, filho…” – tentei argumentar, concordando com o que o veterinário tinha dito.

O meu filho repreendeu-me com veemência: “Para mim, será sempre bom que ele exista, e ele precisa de mim!”

Uma luz acendeu-se na minha consciência, e eu compreendi.

Amar implica cuidar

O meu filho estava a aprender a amar com a mais nobre disposição de que uma pessoa é capaz, dizendo: “é bom que tu existas, mesmo quando já não me trazes prazer ou utilidade”.

Além disso, a determinação da sua atitude poderia ser interpretada como dizendo: “Nas tuas limitações, não só não me causas desconforto, mas por tua causa, posso continuar a sair de mim mesmo pelo teu bem, e isso faz-me crescer e ser feliz. Também sei que o meu amor te faz feliz, e isso é tudo o que precisas para continuar a viver”.

Tu és meu, e eu sou teu.

E de fato, ele cuidou amorosamente do nosso cão para que ele ficasse o mais confortável possível sem nunca se sentir só. Num mistério de amor, o nosso cachorro, fazendo um grande esforço, abanava a cauda e devolvia o seu amor com lambidelas, até que uma manhã ele já não acordou.

Através do seu animal de estimação, o meu filho aprendeu uma lição sublime que mais tarde experimentará na sua relação com as pessoas – especialmente com a pessoa que poderá eventualmente escolher como sua cônjuge: a verdade do autêntico amor pessoal.

Amor incondicional

Esta capacidade de amor desinteressado faz parte do nosso ser, e permite-nos amar para além do prazer ou utilidade que a existência do nosso amado(a) nos pode proporcionar. Transcende apenas os nossos sentidos, para compreender o valor mais profundo dos outros, a sua verdade mais profunda, pela qual merecem ser amados em si mesmos e por si próprios.

É uma verdade que pode ser expressa com palavras como: “Não te amo por que ter-te por perto me traz prazer; não te amo por que é útil para mim que existas; não te amo por que preciso que existas para satisfazer as minhas necessidades. Eu te amo apenas por seres quem és. Como é bom que tu existas! Ofereço-me para te ajudar a levar à plenitude o melhor de ti”.

“Portanto, amar-te-ei na plenitude das tuas capacidades – e não te amarei menos quando, no crepúsculo da tua existência, te encontrares desprovido de tudo, nos limites da velhice ou da doença. Despojado de tudo, exceto da capacidade de dar e receber amor quando mais precisares”.

Esta necessidade de amar e ser amado é tão profunda que muitos doentes e idosos definham na ausência do amor. A sua saúde declina e eles deixam-nos antes do seu tempo. Com amor, poderiam ter vivido mais tempo, como o fim de uma vela acesa que é consumida e se derrete no processo de iluminar.

O amor pessoal autêntico pode contar com a força do espírito para amar de uma forma profunda e autêntica, pela qual percebemos e amamos alguém na medida certa do seu ser e da sua verdade.

Tags:
AmorAnimaisFilhos
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia