Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 06 Outubro |
São Bruno
Aleteia logo
Em foco
separateurCreated with Sketch.

Os elementos católicos do funeral da rainha Elizabeth II

ELIZABETH-II-FUNERALS-AFP-000_32JN9CP.jpg

BEN STANSALL / POOL / AFP

Funérailles d'Elisabeth II, abbaye de Westminster (Londres), 19 septembre 2022.

Cerith Gardiner - publicado em 21/09/22

Foi a primeira vez que um clérigo católico participou de um funeral real

O mundo todo assistiu ao majestoso funeral da rainha anglicana Elizabeth II. E certos detalhes e influências da fé católica não passaram despercebidos na cerimônia.

O próprio local do funeral

A Abadia de Westminster é, atualmente, o “Royal Peculiar” da Igreja da Inglaterra, ou seja, um lugar de culto ligado diretamente aos soberanos. Mas o local serviu como lar para monges beneditinos até a dissolução dos mosteiros por Henrique VIII.

A abadia é dedicada a São Pedro, o primeiro Bispo de Roma. E, mesmo que a Igreja Anglicana acredite que o monarca é o chefe da igreja, é interessante ver que o primeiro Papa da história tem um papel proeminente na abadia.

Uma católica para iniciar as leituras

Patrícia Janet Scotland fez a primeira leitura, retirada do livro de Coríntios. A baronesa católica nasceu na Dominica e vem de uma família com 12 filhos. Ela foi para a Grã-Bretanha quando tinha 2 anos de idade. Tornou-se membro do gabinete britânico e da Câmara dos Lordes. Agora é secretária-geral da Comunidade das Nações – uma organização querida da Rainha.

Um cardeal reza no funeral

O rei Carlos III tem sido muito aberto sobre a importância de ter um diálogo ecumênico e inter-religioso. Assim, o fato do Cardeal Vincent Nichols, ter sido convidado a participar do funeral – o primeiro clérigo católico presente em um funeral real por séculos – foi um enorme sinal da determinação do novo rei em criar alguma unidade entre todas as fés de seu reino.

O Cardeal Nichols, que é arcebispo de Westminster e presidente da Conferência Episcopal da Inglaterra e do País de Gales, dirigiu uma das orações de intercessão, pedindo a Deus um “espírito de honra e respeito mútuos”.

Considerando que nenhum prelado católico esteve presente no funeral do pai da Rainha, George VI, a inclusão do Cardeal Nichols na cerimônia foi particularmente significativa. Gavin Ashenden, ex-capelão real anglicano da rainha Elizabeth II, que se converteu ao catolicismo em 2019, declarou ao OSV: “Ver o Cardeal Nichols de pé junto ao altar-mor e vestido de cardeal durante o serviço fúnebre da rainha deu origem a uma complexa mistura de emoções, entre as quais alegria e nostalgia”.

“Ver o Cardeal Nichols de pé junto ao altar-mor vestido de cardeal durante o serviço fúnebre da rainha deu origem a uma complexa mistura de emoções, entre as quais alegria e nostalgia foram combinadas”.

Um compositor católico

James MacMillan apresentou a peça Who Can Separate Us? (“Quem pode nos separar?”), um hino baseado na Carta aos Romanos que foi executado como hino final. A composição de um eminente compositor católico é uma honra particular que ficará para a história.

Uma oração escrita por um grande teólogo católico

Em Windsor após o funeral houve um clima ameno. Na capela impregnada de história, os familiares da rainha recitaram a oração da noite de São John Henry Newman, um padre anglicano que se tornou cardeal católico:

“Ó Senhor, sustentai-nos o dia inteiro,
até que as sombras se prolonguem
e a noite chega,
e o mundo ocupado é silenciado,
e a febre da vida se finda,
e nosso trabalho é concluído.
Então, em vossa misericórdia,
concedei-nos um pouso seguro e um descanso santo,
e a paz final. Amém.”

Tags:
CatólicosElizabeth IILutoReino Unido
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia