Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quarta-feira 24 Abril |
Aleteia logo
Cultura & Viagem
separateurCreated with Sketch.

Manuscrito mostra como a Páscoa era calculada na Idade Média

Miniatura przedstawiająca piszącego świętego Tomasza a Kempis

Wikimedia Commons | domena publiczna

Daniel R. Esparza - publicado em 11/04/23

O raro manuscrito que ajuda o leitor a determinar a data da Páscoa está agora à venda por cerca de 16.500 dólares

A Coleção Raab é um nome reconhecido internacionalmente em importantes documentos históricos. De acordo com seu site, eles “pesquisam o mundo, encontrando documentos históricos importantes e levando-os à nossa clientela historicamente apaixonada”.

Agora, eles podem ter encontrado um raro tesouro tardio-medieval: um dispositivo mnemônico escrito em latim (um Cipher) que só pode ser lido (ou seja, literalmente decifrado) por alguns poucos instruídos, de um breviário do século XV. O manuscrito está avaliado em 16.500 dólares e está atualmente à venda.

Antes de 1420, os livros de devoção (na maioria breviários) eram feitos sob encomenda, refletindo assim os interesses e devoções de determinada pessoa. Os breviários continham trechos de salmos, leituras do evangelho, hinos e orações para orientar o leitor em sua oração diária no horário canônico fixo.

Segundo o Medievalists.com, o manuscrito encontrado, de origem flamenga ou luxemburguesa, “usa uma série complexa de letras e frases para ajudar o leitor a determinar o que permanece uma festividade móvel: a Páscoa”.

Na época medieval, sua data tinha que ser calculada usando uma combinação de matemática e astronomia – isto é, computus.

A Computus, a ciência medieval de calcular horas e datas, usava a poesia como um dispositivo mnemotécnico. Isto facilitava a memorização de algumas informações por parte dos estudantes.

A Computus foi muitas vezes aplicada “ao complicado e às vezes controverso cálculo da data da Páscoa, uma data altamente variável e ocasionalmente controversa que se baseia em calendários lunares, na data da celebração judaica da Páscoa, e se o observador está ou não no calendário juliano ou gregoriano”, explica o site da Raab. Na verdade, a Páscoa permanece celebrada em dias diferentes no Ocidente do que no Oriente até hoje, devido a essas diferenças de cálculo.

O manuscrito oferecido pela Coleção Raab é uma coleção de páginas de um livro outrora maior, incluindo uma cifra rara desenvolvida em 1402 por um inglês chamado John de Foxton.

Foxton é o autor de uma obra enciclopédica chamada Liber Cosmographiae, que incluía uma linha de poesia acompanhada de várias cartas não relacionadas, escritas em vermelho, que atuam como um desses dispositivos mnemônicos para descobrir a data da Páscoa.

O manuscrito foi provavelmente encomendado por um clérigo que usou seu livro de orações tanto para as devoções diárias quanto para os assuntos mais complexos do calendário cristão.

Tags:
HistóriaHistória da IgrejaIgreja
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia