Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quarta-feira 17 Abril |
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Quaresma: podemos exigir que nossos filhos façam privações?

CHOCOLATE CHIP SCONES

By annyan_jp | Shutterstock

Edifa - publicado em 17/02/21

A Quaresma pode ser vista ao primeiro olhar como algo pesado de viver, pois constitui uma privação de certos prazeres. Como tal, é aconselhável perguntar a si mesmo se as privações devem ser uma prática a impor a seus filhos

É surpreendente perceber o medo que invade os cristãos no período da Quaresma. Só de pensar na Quarta-feira de Cinzas e na Sexta-feira Santa, com a ideia de ter que nos conter, começamos a resmungar por dentro. Sejamos honestos, a penitência nos assusta e nos assusta a ponto de fazer tantos cristãos (e às vezes também os próprios pastores) dizerem que para fazer uma boa Quaresma o importante é nos aproximarmos de Jesus, fazer uma doação a uma obra católica, e viver a caridade. Estas palavras nos servirão bem, se encaixarão no nosso estilo de vida marcado pelo consumo. Somos uma sociedade que já não sabe conviver com a falta.

Sejamos objetivos! O que a Quaresma nos deixa? O que estamos fazendo de forma concreta? Doando uma tigela de arroz numa ação da paróquia, que nos retira a culpa de uma vez por todas? Uma esmola que doamos aos desfavorecidos da África e assim compramos a nossa consciência limpa? Por que pensar que amar a Jesus não resultaria em privação e jejum? Privar-se pelo bem do outro não é mostra-lo que você o ama? Precisamos reconhecer que essas privações são difíceis para nós e nos mostram nossa fraqueza. No entanto, esta é a maneira que Jesus escolheu para nos mostrar seu amor. Ele se privou ao ponto de dar sua vida para nos salvar.

A Quaresma vivida em família nos dá impulso e coragem para continuar

Então sim, sem medo de perder o que é essencial, posso sugerir e até exigir que meus filhos tirem a geleia, a Nutella, o iPad, e ofereçam esses sacrifícios ao Senhor como sinal do seu amor por ele. Assim, todos juntos, decidimos nos unir um pouco aos sofrimentos de Cristo. Juntos, porque assim cresce o ímpeto e a coragem para manter o esforço. Juntos, porque um cristão só, é um cristão em perigo, que pode facilmente se esquecer de cumprir aquilo que é chamado durante a Quaresma! Assim, juntos, celebraremos a Páscoa nesta alegria renovada de saber que somos salvos, e ainda com o retorno da Nutella e dos eletrônicos!

Este tempo nos é oferecido para que nos convertamos, para voltarmos o nosso olhar para Deus. Requer que desapeguemos das coisas materiais para nos ligarmos às coisas de Deus. A penitência nos permite esse movimento. Mas nos perguntamos: não é muito cedo para uma criança? Isso seria, na verdade, subestimar sua capacidade de se aproximar de Deus, seu desejo às vezes espontâneo de imitar Jesus. Esconder dele a verdade da Quaresma seria negar-lhe a oportunidade de realizar grandes coisas, além dessas privações. Sem dúvida, ela saberá dizer e repetir do fundo do coração: “É por Ti, Jesus, que faço isto”.

Impor mortificações aos nossos filhos é também concordar em vivê-las e permitir-se viver plenamente a alegria da Páscoa, vendo seus corações esvaziados de desejo. Quarenta dias sem chocolate e sem eletrônicos é muito tempo, mas a fidelidade… não é isso que esperamos daquele que ama?


WATER

Leia também:
Prece para antes de iniciar o jejum quaresmal e se manter firme nele


SAINTS

Leia também:
3 santos que nos mostram como a Quaresma deve ser




Leia também:
Meus filhos não são nada daquilo que eu esperava!

Inès de Franclieu

Tags:
EducaçãoFilhosQuaresma
Top 10
Ver mais