Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 17 Janeiro |
home iconEstilo de vida
line break icon

Um kit de ferramentas para enfrentar a segunda temporada de “13 Reasons Why”

13 REASONS WHY

Netflix

Jaime Septién - Reportagem local - publicado em 11/06/18

Especialistas dão orientações e alertam para o aumento significativo das buscas na internet pelo termo “suicídio”

Em 2017, a Netflix lançou a série “13 Reasons Why” para uma audiência global, porém mais voltada aos jovens. A série provocou uma grande preocupação entre professores, psicólogos e pais de família, pois o tema retratado foi o suicídio de uma jovem.

Entretanto, um estudo publicado pelo Journal of the American Medical Association revelou que, depois que a primeira temporada da séria acabou, as buscas, na internet, pela palavra “suicídio” tiveram um aumento significativo.

Como resultado disso (e em preparação para o que possa vir com a segunda temporada da série, que já está no ar), uma liga internacional de especialistas em educação, saúde mental e prevenção ao suicídio publicou recomendações aos jovens, pais, educadores e profissionais de saúde.

Trata-se de um “kit de ferramentas” preparado pela SAVE (Suicide Awareness Voices of Education), uma organização internacional de prevenção ao suicídio. O material está em inglês e pode ser acessado aqui.

“Esperamos que a série fomente debates importantes e comportamentos mais positivos e saudáveis. Mas nos preocupa a possibilidade de a série ter resultados negativos para os jovens”, disse o diretor executivo da SAVE, Dan Reidenberg. Ele também sinalizou que “o uso do kit de ferramentas e dos recursos desenvolvidos ajudará a fomentar as conversas, identificar as pessoas em situação de risco e evitar tragédias inesperadas”.

Já o presidente da Associação Internacional para a Prevenção ao Suicídio, o doutor Murad Khan, disse: “A primeira temporada da série incluiu uma descrição detalhada sobre o suicídio e a violência. Ao criar um conjunto de ferramentas para jovens, adultos e profissionais, podemos demonstrar habilidades positivas e construtivas de enfrentamento e incentivar a recuperação e a esperança”, sublinhou o doutor Kahn.

Conselhos gerais aos pais sobre a segunda temporada de “13 Reasons Why”

A liga, liderada pela SAVE, dá os seguintes conselhos aos pais sobre a segunda temporada da série “13 Reasons Why”:

  1. Convencer os jovens em situação de risco (aqueles que sofrem de depressão ou ansiedade) a não assistirem à série. O conteúdo pode ser bastante perturbador para eles;
  2. Se seu filho for assistir, assista com ele. Sabemos que isso nem sempre é possível. Porém, ao fazê-lo, há a possibilidade de monitorar o impacto de cada episódio no jovem e avaliar se algum tema da série é muito perturbador. Você deve também refletir o conteúdo com seu filho;
  3. Se você não pode assistir à série com seu filho, pergunte se ele já assistiu. Se a resposta for sim, demonstre curiosidade pelas impressões que ele teve e esteja disposto a falar sobre seus pensamentos e sentimentos acerca do assunto. Deixe-o à vontade e mostre que você está lá para ouvi-lo e ajudá-lo;
  4. Atenção aos jovens que podem ser vulneráveis a alguns argumentos da série. Converse com seu filho mais de uma vez durante várias semanas depois que ele assistiu ao programa, já que o impacto das emoções pode levar dias para se manifestar e as reações podem acontecer depois que eles conversarem com os amigos sobre o assunto;
  5. Lembre aos jovens que ficção e realidade são diferentes. Ajude-os a compreender que o que eles veem e ouvem na TV não é vida real, mas uma história escrita com o objetivo de capturar a atenção da audiência. É fundamental que eles compreendam que os resultados da série não devem ser os resultados deles na vida real;
  6. Identifique, na sua comunidade, um local onde é possível encontrar ajuda, caso necessário. Pode ser um posto de saúde, um profissional de saúde mental, conselheiros da escola ou um serviço telefônico de prevenção e auxílio. Saber a quem recorrer para obter apoio é uma boa estratégia de prevenção.




Leia também:
O que as famílias podem fazer para evitar suicídios?

Tags:
DepressãoSuicídio
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
Aleteia Brasil
Na íntegra: as três partes do Segredo de Fáti...
UNPLANNED
Jaime Septién
Filme contra o aborto arrasa nas bilheterias ...
BABY BAPTISM
Padre Reginaldo Manzotti
Por que é tão importante batizar uma criança?
Deserto de Negev
Francisco Vêneto
Pedra de 1.400 anos com inscrição mariana é e...
KRZYŻYK NA CZOLE
Beatriz Camargo
60 nomes de bebês que carregam mensagens pode...
Reportagem local
Papa Francisco: cuidado com os cristãos que s...
POPE JOHN PAUL II
Philip Kosloski
"Não tenhais medo": a frase mais usada por Sã...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia