Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Terça-feira 03 Agosto |
home iconAtualidade
line break icon

Os primeiros museus do mundo testemunham o papel crucial da Igreja na cultura

SISTINE CHAPEL EXHIBIT

Diocese of Orange/Challenge Roddie

Reportagem local - publicado em 18/09/19

A Igreja Católica foi decisiva para a pesquisa, a produção, o aprofundamento e a divulgação da cultura, da ciência e da arte

Em artigo publicado pelo Correio dos Açores em 8 de novembro de 2015, o escritor José Maria C. S. André nos lembra que, durante alguns séculos, só em Roma existiam museus.

Ele relata que, a partir de quando o papado começou a ter influência na administração civil de Roma, os focos de atenção passaram a ser os pobres, a educação e a cultura. Os Papas queriam que, ao melhorarem de vida, as pessoas do povo também pudessem ter mais contato com a arte. Daí surgiram as belas praças decoradas com fontes e com esculturas e os edifícios públicos ornados com pinturas e preciosas tapeçarias. No século XV, visando proteger as obras de arte mais suscetíveis aos efeitos da intempérie, surgiram os primeiros museus do mundo.

O termo “museu” veio do grego “muséon”, que significa algo como “palácio das musas”: a expressão evoca as figuras femininas mitológicas que inspiravam as artes. Também não existiam edifícios dedicados a expor obras de arte, o que exigiu outra inovação. Quando os museus se espalharam pelo resto da Europa, seus edifícios, geralmente, “aproveitavam” palácios de regimes depostos, como o Hermitage em São Petersburgo, o primeiro edifício da National Gallery em Londres e o Louvre em Paris. Já os Museus do Vaticano, diferentemente, nasceram projetados para serem visitados pelo povo. Demoraram séculos para que fossem construídos outros museus “de raiz”, como o Calouste Gulbenkian em Lisboa e os Guggenheim de Nova Iorque e Bilbau.

Outra característica invulgar dos Museus do Vaticano, como destaca José Maria C.S. André, é o fato de não possuir peças roubadas. Enquanto grandes museus do mundo ostentam pinturas e esculturas roubadas de igrejas ou saqueadas dos tesouros egípcios e gregos, os Museus do Vaticano vivem a situação contrária: eles é que foram saqueados, no século XIX, por Napoleão Bonaparte. Estima-se que nada menos que um milhão de caixas foram levadas de lá para Paris, contendo obras de arte e arquivos. Após a queda do imperador, o que foi possível recuperar retornou a Roma.

O mais irônico, no entanto, talvez seja o fato de que, hoje em dia, as mesmas pessoas que atacam a Igreja tachando-a de “obscurantista” e “avessa às manifestações artísticas” também costumam atacá-la por causa do “desperdício” de oferecer arte ao povo! A Igreja é continuamente desafiada a vender todo o seu impagável patrimônio artístico para transformar o ganho em doação aos pobres, ao mesmo tempo em que é acusada de “intolerante” ao questionar as “mostras culturais” em que ofensas contra a fé católica são hipocritamente embaladas em suposta “arte”.

Aliás, se a Igreja criasse um museu dedicado a mostrar o quanto a sua contribuição foi decisiva para a pesquisa, a produção, o aprofundamento e a divulgação da cultura, da ciência e da arte, esse museu talvez só perdesse em tamanho para outro que se dedicasse a mostrar o quanto a Igreja foi atacada injustamente como inimiga da cultura, da ciência e da arte ao longo dos séculos.


Padres cientistas: o Padre Georges Lemaître com Albert Einstein em 1933

Leia também:
17 cientistas que eram também sacerdotes católicos


GEORGES LEMAITRE

Leia também:
Igreja e ciência: uma impressionante parceria de excelência que existe há séculos


Universo: razão e fé

Leia também:
Ciência e fé: 20 artigos sobre Deus, o universo e a ciência, para ler aos poucos!

Tags:
ArteCiênciaIgreja Católica
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
Batizado de Davi Henrique, 6 anos
Reportagem local
Davi, de 6 anos, reclama do padre no batizado: “Tá sabendo ...
2
Sintomas da depressão
Reportagem local
8 sintomas físicos da depressão: fique atento a si mesmo e ao seu...
3
Reportagem local
Gritos levam polícia à casa de dois idosos, que choravam copiosam...
4
SIMONE BILES
Cerith Gardiner
Simone Biles deixa as Olimpíadas com uma lição importante para to...
5
Philip Kosloski
Mesmo com ouro e glória, Michael Phelps foi ao fundo do poço – ma...
6
Pessoa idosa rezando o terço
Reportagem local
Brasil: carta de despedida de bisavó de 96 anos comove as redes s...
7
HIDILYN DIAZ
Cerith Gardiner
Olimpíadas: depois de ganhar o ouro, atleta exibe outra medalha e...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia